top map
Notícias
A Paz — Aristófanes
Publicada em 09-05-2016
Teatro Clássico no Teatro Romano de Lisboa | 13 e 14 de Maio | 21h30
Com direcção artística de Silvina Pereira.

Museu de Lisboa — Teatro Romano | Rua de S. Mamede, 3A | 218 172 450

Lisboa, Maio de 2016

Nos dias 13 de 14 de Maio o teatro clássico regressa, pela primeira vez desde o século IV d.C., ao Teatro Romano de Lisboa.

O Teatro Maizum, em parceria com o Museu de Lisboa — Teatro Romano, irá apresentar, nas ruínas do teatro romano de Felicitas Iulia Olisipo, o intemporal texto clássico do comediógrafo grego Aristófanes, A Paz.

Trata-se de uma apresentação pública, sob a forma de leitura encenada, que pretende introduzir o verdadeiro espectáculo, que ocupará o Teatro Romano de 7 a 17 de Julho. Pretende-se com esta apresentação pública dar visibilidade, por um lado, à pertinência e actualidade do teatro clássico e, por outro, a uma estrutura de elevado interesse cultural para a cidade de Lisboa, o Museu Teatro Romano.

O Teatro Maizum tem tido um percurso assinalável na revitalização do Teatro Renascentista Português que, como é sabido, se encontra imbuído de influências clássicas greco-latinas. Desta forma, a parceria entre as duas instituições surgiu naturalmente. Sob a direcção de Silvina Pereira, — investigadora do Centro de Estudos Clássicos da Faculdade de Letras da UL, encenadora, dramaturgista e directora artística do Teatro Maizum, — um elenco de 9 actores irá dar vida às personagens de A Paz, num elogio aos tempos de paz e numa denúncia aos grupos de pressão da guerra.

O teatro romano da cidade de Olisipo foi edificado nos inícios do séc. I, possivelmente na época do Imperador Augusto. Abandonado no século IV d.C., permaneceu soterrado até 1798, ano em que as ruínas foram descobertas durante a reconstrução pós-terramoto. Foi objecto de várias campanhas arqueológicas desde 1967 que recuperaram parte das bancadas, da orquestra, da boca de cena e do palco e um significativo conjunto de elementos decorativos.

O Museu do Teatro Romano de Lisboa, inaugurado em 2001, pretendeu dar a conhecer um dos monumentos mais emblemáticos da antiga cidade romana de Felicitas Iulia Olisipo. Com um funcionamento intermitente, devido às várias investigações e escavações acabaria por fechar em 2013, reabrindo, porém, de forma pujante em Setembro 2015 e com a coordenação, desde 2009, da arqueóloga Lídia Fernandes.

Em 2016 o teatro clássico regressa ao local que é seu por direito.